Os “Cinco Olhos” e os cegos

Depois de grampeado, o papa Francisco fingiu, por meio do seu porta-voz, ser a espionagem vetusta e desimportante. De fato, trata-se de fenômeno antigo e praticado pelos sumérios, por volta do ano 4000 a.C. Talvez a atividade de espião seja mais antiga do que a de prostituta. Na Idade Média, a República de Veneza a usava para evitar sabotagens nos portos, preparar a defesa contra a França e evitar ser transformada em Estado pontifício.

Temer: uso de moedas locais entre Brasil e China depende de ajustes

 

PEQUIM - Em visita a Pequim, o vice-presidente da República, Michel Temer, disse, nesta quinta-feira, 7, que o uso de real e renminbi no comércio entre Brasil e China só “depende de ajustes e, em breve, poderemos estabelecer essa fórmula definitivamente”. Ele respondia a uma indagação de jornalista da imprensa chinesa, durante entrevista.

Lula grava mensagem pró-Bachelet

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou ontem na campanha presidencial do Chile, com um vídeo de apoio à candidatura da ex-presidente Michelle Bachelet, de um minuto e meio e que está sendo divulgado na página da candidata na internet. Lula chama Bachelet de "companheira Michelle". "Ela foi uma grande presidente do Chile. Governou para todos, sem esquecer ninguém, mas com uma atenção especial aos mais pobres", disse.

Com controle de desmate, Brasil pode alcançar meta de emissão

 

SÃO PAULO - O Brasil está no caminho de alcançar o compromisso voluntário de redução de emissões até 2020 ao controlar o desmatamento na Amazônia. A má notícia é que a tendência de todos os outros setores da economia é de crescimento das emissões. O país tem que discutir cenários de redução para depois de 2020, com novas medidas e novas políticas.

IBAS 10 anos depois: Um balanço do Bloco Índia, Brasil e África do Sul Passados 10 anos de criação do Ibas (Índia, Brasil e África do Sul), Conectas propõe uma leitura crítica do bloco.

 

A seguir, Laura Waisbich, assessora do Programa de Política Externa da Conectas, analisa o estado da iniciativa trilateral à luz da atuação da organização neste âmbito. Seja pela incontida ambição de reequilibrar as forças nas relações entre os diferentes Estados e blocos político-econômicos no pós-Guerra Fria ou pela aposta insistente numa aliança sul-sul, os 10 anos de Ibas inquieta, ainda sem responder completamente, qual seu legado e até onde o atual contexto e seu potencial inerente pode levar o conjunto formato por estes três países que, ao mesmo tempo, têm tanto e tão pouco em comum entre si.

Le Brésil a espionné les services secrets français

 

A chaque jour son lot de révélations. Après les épisodes d'espionnage du renseignement américain rendus publics par Edward Snowden et provoquant la colère de la présidente, Dilma Rousseff, le gouvernement brésilien se retrouve, coup sur coup, placé dans une position inconfortable.

Ditaduras não podem ser tratadas como assunto do passado na América Latina, diz autora

 

As ditaduras militares vivenciadas na América Latina foram expressões do poder estatal, e não ‘acidentes’ de percurso ou desvio de rotas. Essa é a defesa feita pela pesquisadora Pilar Calveiro, autora de “Poder e desaparecimento”, recém lançado no Brasil pela editora Boitempo. Em entrevista a Opera Mundi, Pilar, que foi sequestrada e ficou presa durante um ano e meio pela ditadura argentina, ressalta que é ‘perigoso’ tratar o regime ditatorial como “assunto do passado”, pois se “esses fatos continuam impunes, é uma permissão para que eles continuem acontecendo”.

A telecomunicação brasileira na mira da colonização estrangeira



Já pensou se a Península Ibérica reservasse ao Brasil um projeto de recolonização, mas de outro tipo, menos “estatal” e mais “privado”. Os tempos são outros, mas não muito. O mercantilismo das grandes navegações cedeu lugar ao capitalismo monopolista contemporâneo das megacorporações de telecomunicação. Saiu de cena a monarquia e o capital financeiro assumiu para si a tarefa de, com as próprias mãos, caçar mercados e saquear as colônias. Portugal Telecom e Telefónica protagonizam a nova jornada através do Atlântico.

Brasil vai propor consulta sobre o clima às sociedades

 

O Brasil irá propor na conferência do clima de Varsóvia que começa na segunda-feira, na Polônia (COP-19), que os países promovam amplas consultas internas com suas sociedades, todas as esferas políticas e os setores produtivos para conseguirem compromissos com metas de corte na emissão de gases-estufa. Esses pactos nacionais dariam suporte político - e alguma chance de êxito - ao acordo global que deve ser assinado em Paris, em 2015, para vigorar a partir de 2020. Afastariam, também, o trauma do fracasso das negociações do passado.

Brasil, objeto ou sujeito da História?

 

Com razão os brasileiros estão irados com o excessivo alcance do poderio americano, como testemunhado no recente escândalo da NSA. Para conter as aparentemente intermináveis práticas de espionagem dos EUA, a chanceler alemã, Angela Merkel, e Dilma Rousseff estão certas em liderar um movimento internacional que as restrinja.