Paraguai é e sempre será parceiro estratégico para o Brasil, diz Dilma


FOZ DO IGUAÇU E SÃO PAULO - A presidente Dilma Rousseff disse, nesta terça-feira, 29, que o Paraguai é e sempre será um “parceiro estratégico” para o Brasil. Em seu quinto evento público com o presidente paraguaio, Horacio Cartes, Dilma afirmou que seu governo tem disposição de ampliar as obras de infraestrutura com o país vizinho. A presidente disse, ainda, que o Mercosul está forte e que não se limita ao comércio.

Brasil é denunciado por punir críticas a políticos

 

O Brasil foi acusado nessa terça-feira, 29, na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, de violar tratados internacionais sobre a liberdade de expressão por abrigar leis que criminalizam, como casos de calúnia, injúria e difamação, críticas e denúncias da mídia envolvendo ocupantes de cargos públicos.

Projetos do Brasil ajudam países africanos, mas enfrentam dificuldades

Uma das principais formas de atuação do governo brasileiro na África é a cooperação técnica, que transfere políticas e tecnologias nacionais, sobretudo nas áreas de saúde, agricultura e educação. Na última década, foram 600 iniciativas em 43 dos 54 países africanos. Os projetos são considerados um diferencial do Brasil em relação a outros países que apoiam o desenvolvimento da África, como os europeus e a China, mas enfrentam dificuldades.

Vice-presidente buscará apoio chinês para vaga permanente do Brasil em conselho da ONU

 

Brasília – Escolhido pela presidenta Dilma Rousseff para atuar como um embaixador em questões comerciais com outros países, o vice-presidente Michel Temer aproveitará a primeira viagem à China, nesta semana, para buscar apoio a uma das principais bandeiras da política externa brasileira: a reformulação do Conselho de Segurança das Nações Unidas e a conquista de uma vaga permanente no órgão internacional.

Quando os blocos colidem

 

Os dois maiores blocos econômicos da América Latina - a Aliança do Pacífico e o Mercado Comum do Sul (Mercosul) - tentam aprofundar a integração na economia mundial de maneiras muito diferentes. Seu sucesso ou fracasso nessa empreitada dependerá não apenas de suas estratégias particulares, mas da capacidade de essas estratégias se complementarem.

2050 ou um ponto logo ali, adiante

 

Nas instituições multilaterais, e também em alguns países, fazer previsões econômicas de longo prazo é uma prática. Aqui no Brasil, a ausência de interesse nesse tipo de projeção é uma característica; outra, é que pouco refletimos sobre qual é a visão, para o futuro, que essas instituições têm de nós. No contato com alguns dos documentos disponíveis, salta aos olhos a necessidade de entendermos melhor o que condiciona nosso futuro.

O DNA brasileiro

 

Entre prognósticos de retumbante sucesso e augúrios de fracasso catastrófico, o leilão do suculento Campo de Libra decepcionou as duas facções. Da disputa entre pessimistas e otimistas saíram vencedores os desinteressados e desinteressantes realistas, aqueles que cuidam das condições reais dos mercados de óleo na segunda década do Terceiro Milênio. Não vou reproduzir aqui os argumentos exarados em artigo publicado em CartaCapital em parceria privada-privada com o professor José Augusto Ruas.

Brasil agora cobra 'calotes' da Venezuela

 

Depois de estimular negócios com a Venezuela, o governo do Brasil agora cobra do país vizinho "calotes temporários" de exportações de empresas brasileiras feitas neste ano.

Em alguns casos, o atraso nos pagamentos de produtos vendidos ao mercado venezuelano, que vive um momento de escassez, chega a quatro meses.

Depois de ser espionada, UE quer unir forças com Brasil para pressionar EUA

 

GENEBRA – A União Europeia quer trabalhar com o Brasil para estabelecer um entendimento sobre proteção de dados, depois que ambos foram alvos de ampla espionagem por parte dos Estados Unidos. Respondendo ao Estado, o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, confirmou que o diálogo com o Brasil vai ocorrer.

L'OCDE invite le Brésil à poursuivre la lutte contre la pauvreté

 

Le ralentissement de la croissance brésilienne, tombée à + 0,9 % en 2012, a mis en évidence quelques-unes des faiblesses structurelles du pays, comme celle de son secteur manufacturier, les faibles taux d'investissement et d'épargne, ou encore le déficit d'infrastructures.